As 10 principais dúvidas sobre próteses de mama

A cirurgia de implante de prótese de silicone nos seios é, sem dúvida alguma, uma das mais realizadas na cirurgia plástica. Entretanto, esse procedimento ainda gera muitas dúvidas e indecisões, algo normal para que não conhece a fundo esse assunto.

Para te ajudar a escolher a melhor cirurgia e identificar qual é sua necessidade, além dos riscos, pós-operatório, custos e outros aspectos importantes, a seguir, elaboramos uma lista com as principais dúvidas sobre a prótese de mama.

  1. Como se escolhe o tamanho da prótese?

O tamanho da prótese de mama é sugerido pelo cirurgião plástico com base em algumas proporções, tais como altura, medida de ombros, tórax e quadris. Além disso, deve ser avaliada a capacidade elástica dos seios e a harmonia geral da paciente, a partir do seu desejo de aumento dos seios.

  1. A prótese que uma amiga colocou pode servir para mim?

Nem sempre o implante de silicone que sua amiga colocou e ficou maravilhoso teria o mesmo resultado em você. Isso porque cada corpo tem suas características próprias e devem ser levados aspectos como altura, tipo físico, peso, etc. Além disso, é importante saber se a prótese terá perfil alto, super alto, redondo ou anatômico, por exemplo.

  1. O silicone utilizado na prótese pode romper?

O silicone empregado nas próteses é médico, ou seja, feito após longos estudos sobre infecções ou possibilidade de rompimentos. Ao contrário do silicone industrial, essa variante utilizada nos implantes mamários oferece riscos mínimos de se romper e, caso isso aconteça devido a algum acidente, ele não “vaza” no organismo, mantendo a paciente totalmente segura.

  1. Posso ter rejeição ao silicone?

Não existe a possibilidade de o corpo rejeitar o silicone, já que essas próteses são de uso médico e compatíveis com os tecidos humanos. O que pode ocorrer, no entanto, são problemas de cicatrização, que devem ser avaliados pelo cirurgião plástico.

  1. Qual é o preço da cirurgia de aumento de mama?

O valor do implante de silicone varia de acordo com os honorários do cirurgião plástico, tipo de implante escolhido, hospital, etc. Por isso, é essencial conversar com um médico para avaliar as opções de custos.

  1. A prótese de silicone eleva as chances de ter câncer de mama?

Não existe relação alguma entre o implante de silicone e o câncer de mama. A prótese, inclusive, não atrapalha em exames de mamografia, por exemplo, e permite o autoexame tranquilamente.

  1. Como fica a sensibilidade das mamas após a cirurgia?

A sensibilidade das mamas após o implante de silicone pode ficar comprometida nos primeiros dias após a cirurgia, o que é considerado normal. Entretanto, com o passar do tempo, a sensibilidade no local retorna alguns meses após a cirurgia.

  1. É possível amamentar ao colocar prótese de silicone?

A lactação e toda a fisiologia da glândula mamária seguem preservados após o implante de silicone nos seios. Por isso, a mulher poderá amamentar normalmente quando tiver filhos.

  1. Em quanto tempo preciso trocar as próteses?

A duração de uma prótese costuma variar entre dez e 20 anos, porém há casos que dispensam sua troca. Por isso, é fundamental visitar um cirurgião plástico para avaliar suas condições, se houve enrugamentos, dobras ou rupturas, necessitando de troca.

  1. Como é possível verificar a situação do implante mamário?

Em geral, o cirurgião solicita uma ecografia mamária para verificar as condições da prótese e a possível existência de rupturas. Se necessário, pode ser solicitada uma ressonância magnética.

EnglishPortugueseSpanish