Fumantes podem fazer Cirurgia Plástica?

Pessoas que fumam não podem fazer cirurgia plástica?

Fumantes que pretendem se submeter a uma cirurgia plástica têm uma série de restrições, sabia? Grande parte dos cirurgiões, inclusive, não realiza procedimentos em quem não parou de fumar. Mas, afinal, por que fumantes não podem fazer cirurgia plástica?

O tabagismo pode trazer uma série de complicações cirúrgicas, tanto no pré quanto no pós-operatório. Isso porque o fumo traz inúmeras toxinas ao organismo e, por isso, eleva consideravelmente os riscos de qualquer tipo de procedimento.

Quais são os riscos de fumantes que realizam cirurgia plástica?

Fumantes têm muito mais riscos ao realizar intervenções cirúrgicas do que pessoas que não têm esse hábito. Devido à interferência do tabaco na oxigenação do sangue, há grande comprometimento do funcionamento dos vasos sanguíneos, retardando a distribuição de nutrientes para a pele e os tecidos. Há, ainda, o risco de haver complicações cardiorrespiratórias.

Os riscos na anestesia também são elevados em pessoas que fumam. A cicatrização é comprometida, gerando sérios efeitos como necrose na pele, infecções, queloides ou manchas, trombose venosa, embolia pulmonar ou cicatrizes inestéticas, que encontram dificuldade para cicatrizar.

Por que o cigarro prejudica o organismo antes da cirurgia plástica?

O monóxido de carbono liberado pelo cigarro compromete o transporte de oxigênio pelo sangue até os tecidos, reduzindo sua oxigenação. Em uma cirurgia plástica, o corpo necessita de sangue e nutrientes para acelerar a recuperação e, com o cigarro, esse processo é bastante comprometido.

Com má oxigenação aumentam os riscos de necrose, ou seja, morte do tecido. Além disso, o alcatrão e a nicotina do cigarro elevam o processo de degeneração dos vasos sanguíneos, tornando-os mais duros e com menos capacidade para transportar sangue até o tecidos. Riscos como má cicatrização, trombose, embolia pulmonar e infarto são, portanto, muito mais prováveis.

Como evitar que o cigarro comprometa uma cirurgia?

Quando um paciente tem a intenção de fazer uma cirurgia plástica, recomenda-se que ele pare de fumar por um período mínimo de um mês – que pode chegar a até seis meses dependendo do procedimento. Alguns cirurgiões pedem, inclusive, a assinatura de um termo de responsabilidade referente aos problemas trazidos pelo tabaco.

Para afastar esse tipo de risco, o mais recomendável é se consultar com um médico cirurgião experiente, contando há quanto tempo fuma e que tipo de procedimento gostaria de realizar. Após isso, o médico indicará a melhor forma de minimizar as consequências do tabagismo e realizar uma cirurgia plástica da maneira mais segura possível.

EnglishPortugueseSpanish