Correção de Ptose Palpebral, a “queda” da pálpebra

Na grande maioria dos casos de ptose palpebral, os tratamentos indicados são cirúrgicos, podendo ter motivos estéticos e/ou funcionais, quando há interferência na visão do paciente. A ptose palpebral pode ser congênita (indivíduo nasce com ela), traumática, neurológica ou decorrente do envelhecimento.

Existem várias técnicas para a correção cirúrgica da ptose palpebral. Há que se avaliar a função do músculo elevador da pálpebra e do músculo frontal, assim como a posição da pálpebra ao se olhar para baixo, a posição da prega palpebral e outros sinais associados.

Normalmente, o pós-operatório da correção da ptose pálpebra é simples. Um cuidado especial deve ser tomado na avaliação do fechamento palpebral pois, em alguns casos, o paciente pode apresentar fechamento incompleto das pálpebras devido a uma hipercorreção. Nesse caso, fazem-se necessárias algumas medidas como remoção de sutura e massagens no pós-operatório. No caso de ter havido hipocorreção, uma segunda cirurgia poderá ser indicada após seis meses.

A ptose palpebral também pode ocorrer após o uso prolongado de lentes de contato, por possível inflamação do músculo elevador da pálpebra superior. Nestes casos, a interrupção do uso da lente de contato por um grande período é a melhor forma de tratamento, porém, caso não melhore, lançamos mão do tratamento cirúrgico.

Frequentemente, a ptose acompanha os casos de bolsas palpebrais, que devem ser corrigidas no momento da blefaroplastia por cirurgião plástico habilitado nesse tipo de cirurgia.

Tudo sobre a Correção de Ptose Palpebral

Como é a cirurgia de correção de pálpebras?

ptose palpebral, também conhecida como queda da pálpebra superior, pode ter origem congênita (indivíduo nasce com ela), traumática ou neurológica. O normal é que a pálpebra superior cubra apenas de 1 a 2 mm da porção superior da córnea (limbo superior). A queda da pálpebra, além do comprometimento estético, pode diminuir o campo de visão da pessoa.

A ptose palpebral também pode ocorrer devido ao uso prolongado de lentes de contato, por possível inflamação do músculo elevador da pálpebra superior. Nestes casos, a melhor forma de tratamento é a interrupção do uso da lente de contato por um grande período de tempo, porém, caso não melhore, o mais indicado é a cirurgia de correção da ptose palpebral.

Tempo de cirurgia e pós-operatório

O tempo da cirurgia leva em torno de 2 horas, com anestesia local e sedação. Geralmente, o pós-operatório é bem simples, sendo recomendado um cuidado especial com a avaliação do fechamento palpebral, pois, em alguns casos, o paciente pode apresentar um fechamento incompleto das pálpebras devido a uma hipercorreção nas pálpebras. Neste caso, são necessárias algumas medidas, como remoção de sutura e massagens no pós-operatório. No caso de ter havido a hiporcorreção palpebral, uma segunda cirurgia poderá ser indicada apenas depois de seis meses.

Frequentemente, há casos em que a ptose palpebral acompanha os casos de bolsas palpebrais, que podem ser corrigidas no momento da blefaroplastia, por cirurgião plástico.

Resultados

Após as suturas serem removidas e o inchaço diminuir, a cicatriz será mínima, haja vista que a incisão fica escondida em uma prega palpebral ou na parte inferior da pálpebra superior. A correção das pálpebras normalmente atinge o resultado desejado e a maioria dos pacientes ficam satisfeitos com a melhora significativa da aparência e visão desobstruída.

Agende sua Consulta

Tel: (11) 2688-6599
Tel: (11) 98510-5259  
E-mail: contato@ltjplastica.com.br
End: Rua Domingos de Moraes, 2187 – Cj 218/219,     Torre Paris, Vila Mariana – São Paulo

Como chegar na Clínica Corpora